counter easy hit

Electric Gene – Bruno Guimarães

electric gene psytrance

electric gene tour 2017

Entrevista com Electric Gene

Qual foi seu primeiro contato com o Psytrance e o que achou do estilo musical ?

Eu não lembro ao certo mas acredito que tenha sido por volta de 2005 ou até antes, eu sempre fui apaixonado por música, eu ouvia em casa muitos estilos diferentes dentre eles o psy-trance. Eu me apaixonei logo de cara pela complexidade de elementos, timbres diferentes e uma infinidade de sons surpreendentes, uma música com a capacidade de transportar você para outros leveis simplesmente através de sua imaginação. Eu ouvia muito “Beat hackers, Yahel , Bliss,” naquela época.

Qual foi o momento em que você decidiu se tornar um produtor de música psicodélica ?

Eu sou um dos únicos produtores que conheço que começou a produzir psy-trance antes mesmo de gostar de festas raves, eu não tinha qualquer vínculo com a cena psytrance, nem pretensão de fazer parte, acha “rave” coisa de doido (e de fato não deixa de ser kkk). Eu “arranhava” alguns instrumentos e era professor de bateria, tive algumas bandas mas que não pareciam ter a sede e empenho que eu tinha para criar música. Depois de vários ensaios e shows frustrados em que os demais integrantes sempre furavam comigo, eu decidi fazer tudo por conta própria e investir na minha “banda” sozinho, onde eu poderia fazer todos os instrumentos sem depender de ninguém, foi aí que me aventurei logo de cara no som mais complexo, bonito e misterioso que conhecia, o Psy-trance.

Depois de muitos anos levando a produção de psytrance como um simples hobbie, comecei a ir festas da cena, descobri que essa música poderia ir muito além de uma simples experiência da minha imaginação, mas que era possível expandir minha consciência, tornando-se agora um propósito, um meio de levar uma mensagem de paz, alegria, reflexão e mostrar um universo de possibilidades as pessoas. Resgatá-las de uma vida limitada que nossa sociedade de consumo nos cerca e apresentá-las ao um novo estilo de vida.

Decidi levar isso a sério em 2012, pois era o que mais gostava de fazer, então deveria tentar ir ao máximo. Enfiei a cara em estudos e fiquei mais de 2 anos preparando 1h de música autoral para meu primeiro live set, para só então finalmente em fevereiro de 2015 me apresentar pela primeira vez como Electric Gene.

electric gene ecologic

Quais são suas influências e inspirações ?

Eu tenho muitas influências do som experimental, e ouço diversas vertentes de música que vão do samba ao dark, mas dos projetos de psytrance que mais inspiram são Mr, What , Freedom Fighters, Astrix, Yahel, Lyktum, Zen Mechanics, Captain Hook ..

Quais seus Hobbies quando não está produzindo ?

Ultimamente não tenho tido tempo para hobbies, tenho dedicado todo meu tempo a minha família, meus compromissos e a música. Meus momentos de lazer ficam restritos apenas a tomar aquela cerveja com amigos.

Qual evento que mais marcou sua carreira de Artista ?

Cada evento você tem um experiência diferente, todos tem sua importância. Eu tenho menos de 2 anos que me apresento, e pra mim todos foram muitos importantes para minha carreira, fica difícil dizer apenas um. Eu gosto muito dos eventos do meu estado e sou grato a todos que acreditaram e me deram oportunidade, tive várias experiências bacanas ao começar a viajar pelo Brasil e conhecer novas culturas e festas maravilhosas. Um grande salve ao festival Lost Paradise que recebeu a mim e minha família para uma experiência linda na Serra do Caparaó. Também guardo com carinho minha participação no Mundo de Oz 2016, pois era um festival que sempre quis ir conhecer da pista mesmo, mas infelizmente nunca tinha condições de ir. Receber o convite para fazer parte do line foi a realização dupla de um sonho.

electric gene live perfect line psytrance

Como você vê a cena do Psytrance atualmente ?

Hoje eu vejo um forte crescimento da cena eletrônica em geral, em todos os estilos. Surgiram dezena de novas sub vertentes e estilos, novos artistas trazendo novas possibilidades, o que está sendo muito enriquecedor para o psytrance. Aqui no Brasil que é a cena que faço parte e conheço, nasceram várias novas festas em todos os cantos, muitos novos projetos, e muitos novos adeptos da cultura.

Na minha humilde opinião, as pessoas adeptas da cultura psytrance deveriam segregar menos e respeitar mais. Respeitar não é simplesmente tolerar a existência e não tacar uma pedra na pessoa que não ouve o que você ouve, e sim, saber conviver e compartilhar momentos bons com as diversas diferenças que existem. Você não é obrigado a gostar de tudo, mas o teu gosto não te torna melhor que ninguém.

Cada um tem a experiência que deseja ter e encontra diferentes caminhos para ser feliz. Ter um mundo musical cheio de diferenças é o que deixa a música tão rica e bonita de possibilidades, limitar-se é viver menos. Como um amigo disse recentemente “sejamos mais benevolentes com o próximo, vc não precisa enaltecer sua escolha denegrindo a dos outros”.

electric gene psy

Você tem outros projetos de música em paralelo, quais ?

Eu tenho alguns projetos que funcionam ainda como uma válvula de escape para algumas ideias que não se encaixam no Electric Gene, este ano eu criei o Sinestesia que segue uma linha do minimal experimental, que vocês podem conferir em soundcloud.com/sinestesiabr . Por enquanto não tenho nenhuma pretensão neste projeto além de simplesmente criar coisas novas. Tenho também alguns projetos que ainda não saíram do papel em parceria com outros produtores de fora do Brasil, mas por enquanto estou focado no Electric Gene.

Dê onde você tira inspirações para criação das músicas ?

São diferentes inspirações para cada música, depende da ideia que desejo passar, uma mistura das coisas que ouço com a experiência que desejo transmitir, acho que minhas inspirações vem mais das experiências do que de música em si. Eu tenho também em mente que sou um mero operador, pois quando estou construindo minhas músicas elas parece que conversam comigo, parecem pedir as coisas que eu devo colocar nela, várias coisas acontecem também ao acaso, uma mistura de intenções, erros e acertos, eu simplesmente obedeço o que ela pede e executo.

electric gene live

Se pudesse escolher uma festa para tocar, qual seria ?

São várias, mas as festa que mais gostei de participar eu nem sabia que existiam, elas que escolhem você! Mas acho que seria uma experiência muito boa para o projeto participar do Universo Paralelo aqui no Brasil, e quem sabe chegar um dia a fazer parte do Boom, Ozora? Já pensou até o Burning Man que louco heim? Tem várias festas e festivais lindos por este mundo, seria bacana mesmo participar de todos eles! ahahahha

Gostaria de deixar um recado ou agradecimento para os seus fâns ?

Sou muito grato a todos que de alguma forma admiram minhas músicas, ao amigos e família que sempre me apoiaram, e quero dizer que todos vocês fazem parte do Electric Gene comigo. Hoje não me sinto mais um maluco fazendo barulho em um quarto sozinho, todo momento de dificuldade eu me sinto no dever de continuar porque agora muitas pessoas acreditam e esperam mais de mim, desejam ouvir mais do que tenho a mostrar.

Já vi minha música sendo tocada em vários cantos do mundo, mesmo em lugares que talvez eu mesmo nunca tenha oportunidade de estar, mas para mim mais importante que o mensageiro é a mensagem, e que ela esteja sendo passada. Meu muito obrigado, um grande abraço e PAZ!

Electric Gene no Soundcloud

Electric Gene no Facebook

Você também pode gostar ...

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *