counter easy hit

Chicodelico – Francisco Cavalcante (Flip Out)


NOME, IDADE E LOCAL DE NASCIMENTO:

Francisco Cavalcante Da Silva 27/08/1971 – Mucambo – CE 

HOBBY?

Meu hobby é meu trabalho! Eles se unem, é estranho mas é assim. 

QUAL SEU PRIMEIRO CONTATO COM A MUSICA ELETRÔNICA? E COM O PSYTRANCE?

Meu primeiro contato ainda foi na década de 80, na época, dentro do movimento punk já rolava os papos de que a musica eletrônica estava entrando no sistema. Aquilo era um choque pros punks radicais, mas eu já podia sentir que havia algo de bom…E a primeira vez que ouvi falar de psychedelic trance foi atraves da revista trip, acho que em meados dos anos 90, quando li uma matéria bem legal falando sobre as experiências que o jornalista tinha vivenciado em uma rave que rolou na França, aquilo me deixou super curioso e passei a pesquisar mais…  Comecei a me sentir dentro de toda aquela situação, era difícil na época porque era super limitado informação !

E foi em Trancoso que me deparei com o movimento e a musica pela primeira vez !

O QUE VOCÊ ESCUTAVA ANTES DE SE APAIXONAR PELO PSYTRANCE?

Escuto tudo, desde o “Ultimo Adeus” do trio parada dura passando por Adam Beyer, referencia tecno e finalizando com Deviant Spicies que chega ao Universo Paralello nesse ano. Mas resumindo musica boa é musica boa, o que importa é ter sensibilidade auditiva e respeito!

-QUANDO DESPERTOU SEU INTERESSE PELAS CDJS?

Em 2005 vi que escutava muitas musicas que não tocavam nas pistas, e aquilo me criou uma vontade louca de tocar aquelas musicas, e isso deu muito certo ate hoje, e sigo assim fazendo minhas pesquisas junto ao time da Vagalume Records. 

-QUAL SUA PROFISSÃO ANTES DE SER DJ E PRODUTOR DE EVENTOS?

A lista é grande mas tenho dentro das minhas habilidades um pouco de tudo, comercio, mão de obra, técnicas cearences de aperfeiçoamento, matemática de cordel e o carinho cigano em executar meus trabalhos. Toda essa experiência que obtive na adolescência me ajudam ate hoje na execução dos trabalhos que desenvolvo nos meus eventos .

-QUANDO E ONDE FOI SEU PRIMEIRO EVENTO COMO DJ?

Final de 2005, em Brasilia, não me lembro exatamente aonde foi.

-E QUANDO RESOLVEU SE TORNAR UM PRODUTOR DE FESTA PSICODELICA?

Depois de ter passado por vários estilos de musicas. Já tinha passado pelo rock, reggae, techno, drum and bass, e ai num dia e organizei uma festa.  Em 99 mais ou menos, foi logo quando conheci o Swarup, eu fiz essaa festa com o um amigo meu, o Ronan que tinha uma banda de Heavy Metal. A gente se encontrou, resolveu fazer essa festa num clube de caça e pesca, foi uma noite muito engraçada porque tava um tempo chuvoso….  Ai antes disso eu encontrei com uma amiga que me contou que uns holandezes estavam na cidade, afim de tocar, que não iriam cobrar nada, só as bebidas mesmo, e só precisavam de um cabo rca… Falei que tava fácil e arrumei pra eles. Na verdade eu nem sabia quem era, não fazia nem ideia… Depois fui procurar quem eram… Perguntei o nome dos caras pra Paula -minha amiga- e ela me disse que eles eram o GMS, que hoje em dia todo mundo conhece !!

“Então foi isso, na minha primeira festa tocaram Swarup e GMS, em 1999!”

Engraçado que a festa começava as 22 a galera só chegou das 1:00am… Depois das 2 começou uma chuva torrencial que ninguem conseguia sair… e dava trovões e relâmpagos… o som desligava e voltava… foi uma coisa bem macumba magica misteriosa!!

-A QUANTOS ANOS ESTA PRODUZINDO EVENTOS?

Desde 2005 

-ONDE NASCEU A FLIP OUT?

A Flip Out é um filho que eu fiz nascer dentro da minha cabeça, um filho artístico, cultural, movimento psicodelico que eu fui criando num papo informal com o Zumbi la na Vagalume em 2002, depois eu fiquei criando imaginando como ela seria feita, construído de verdade… algo elaborado… A principio eu sempre quiz fazer uma balada subsolo, undergroud… Na verdade sempre fiz assim… Sempre gostei de baladas assim… E na época rolou uma oportunidade na 23 do lago sul, o clube se chamava Armagedon… E encaixou legal, o trance era muito difícil de fazer naquela época.. Ja tinha rolado algumas open air, 2001, em 2000 eu também fiz uma… Mas aquelas ali, fazendo no subsolo, pra mim eu iria levar somente quem curtia musica porque era só esse o objetivo, era a musica mesmo!  Então o principal foi assim… balada psypunk.. Era bem assim o estilo na época 

-PORQUE VOCÊ CRIOU ESSE NUCLEO? QUAIS FORAM SUAS METAS COMO PRODUTOR?

Exatamente com esse objetivo, crescer no meio da cena, conseguir novos adeptos pra musica, pro movimento… Afinal ja estamos ai a 15 anos de duração, já se passaram muita gente nos palcos da flip, muitos públicos, amigos, artistas… Muitos amigos quando me encontram, relembram… E muitos amigos novos surgiram… Essa nova gurizada que ta surgindo… Que ta bombando… Muitos artistas também surgiu tendo a Flip Out como referência. A gente ja trouxe muita gente…. E eu não sei, eu não consigo descrever ao certo, mas sei la… É como se fosse uma missão legal que você pega pra fazer… Que você pega essa missão e a cada dia você elimina um pedaço da sua missão sabe!? Com a sensação de dever cumprido, uma sensação positiva de prazer… Ver a galera na sua balada curtindo, dançando, tendo referencia, musical, visual, de estilo, de comportamento…de tudo… É simplesmente demais!! Isso me move !! Acho que é pra isso que serve, pra isso que a Flip Out nasceu !!

-QUAL FOI UMA FESTA QUE ENTROU PRA HISTÓRIA?

Flip out 2006, a primeira open air que a gente fez, Realmente foi foda, foi fantástico fazer aquela festa, foi ali próximo a fazendo Jangai, num local chamado Santa natureza, tinha um correnteza bem bonita ao lado, e essa festa foi na época do aniversário de Brasilia, foi no dia 21 de abril de 2006… Nessa ocasião tocariam alguns artistas fodas…  Foi uma festa bem louca, durou bastante tempo, 24 horas, e deu umas 1.200 pessoas, que era um numero bem grande para as festas da época. Foi uma festa bem simbólica, todo mundo que foi, fala muito bem ate hoje, rolaram vários momentos inesquecíveis pra galera, sensação de pista mesmo… Teve galera com malabares de fogo… A vibe do lugar tava ótima… Foi realmente um evento magico, daqueles que entram pra memória !

-QUAIS OS MAIORES ARTISTAS VOCÊS JÁ TROUXERAM NESSA LONGA TRAJETÓRIA?

Ao longo de toda essa trajetória da Flip Out eu já trouxe muitos artistas…. Alguns que ja não existem mais e outros que continuam na luta, e outros que bombaram, que estão rodando o mundo.… E realmente eu não sei distinguir… São muitos nomes, muita gente da cena… Ja tocaram Headroom, Jotido, perplex, a galera da vagalume toda, que sempre são os residentes da Flip… A galera da nova Zelândia, TetraMeth, muita gente da Nano….

Sei la, são quase 100 edições, cada edição vai la pelo menos 5 artistas, então da pra fazer um conta dentro disso ai..  Tem artista que era do trance, hoje em dia nem faz mais trance…. Teve um tempo que rolava uns technos tb, começava com Low e terminava com trance! Marcelo Volcon, garoto ainda, tocava psy, Gabe, wecred Machines…

Enfim, passou muita gente.. 

-QUAIS AINDA SONHA EM TRAZER?

Não tenho nomes certo mas tenho certeza que muitas novidades virão, sempre ouvimos musicas novas, artistas novos… Sempre nos atraímos pelo novo, e prometemos sempre surpreender o publico!

-O QUE NÃO PODE FATAR EM UMA FESTA?

Primeiramente sistema de som, na real você pode ver que qualquer pessoa do planeta quando vai fazer uma festa, já pensa logo no som… Pode ser ate uma festa dentro de casa, uma social… um som de qualidade é outro nível !

-QUAIS AS MAIORES DIFICULDADES PARA UM PRODUTOR DE EVENTOS?

Pelo menos pra mim é conseguir acertar, cativar o publico, conseguir mostrar pra ele uma ideia legal, onde o publico fica convencido que é a festa certa pra ele ir e se divertir… E depois também tem o pos festa que você tem que sair com a moral alta, a moral da sua produtora, empresa.. Sua própria moral… Pra você ter um pouco de estilo pra fazer outras festas!!

O carinho que vc tem que ter pela história sabe… Mas é uma dificuldade!!  Você conseguir recurso é muito difícil, sempre fizemos tudo do próprio bolso, sem recurso de patrocínio, nem nada… Ainda somos taxados como os malucos da sociedade porque faz a rave, porque só tem maluco na rave… Então essa também é uma grande dificuldade, porque acabamos sofrendo preconceito das pessoas, da mídia que jamais foram numa festa original mesmo pra saber de verdade como funciona…

Uma coisa é certa, produção requer bastante trabalho e dedicação !!!

-QUAIS AS METAS DA FLIP OUT PARA OS PRÓXIMOS ANOS? 

Manter a nossa identidade, tentar cada dia dar uma melhorada mais na concientizacao musical… Que ta faltando um pouco, Nos últimos anos o trance deu uma mudada e muitos artistas bons ai pelo mundo estão um pouco apagados por causa dessa onda de trance pocotó por ai…. dessas musicas estranhas que a galera ta fazendo… Acho que ta faltando produção musical tambem. Esses são os grandes desafios: descobrir novos nomes, descobrir novas tendências… Não só pra Fil Out, mas pra todas as produtoras!

A gente tem feito varias pesquisas para exatamente modificar essa historia toda, afinal não importa se a musica é pocotó, ou dark, morning, prog, fullon… seja lá o que for, o que interessa é musica de qualidade, musica boa é musica boa !! Mas o mercado ta cheio de musica muito fácil sabe!? E não ta nascendo uma musica legal… Falta mesmo produção musical! Esse é o nosso desafio, achar pessoas que fazem musicas de verdade, que estão engajadas de verdade… por ai vai !!!

-QUAIS OS MAIORES EVENTOS QUE VOCÊ JÁ PARTICIPOU DA PRODUÇÃO?

Já fiz trabalhos no Brasil e fora do Brasil, Já viajei trabalhando organizando evento pro Peru, Panama, Mexico, India, e Bolivia.  Não são grandes, mas pra mim foi muito importante sair com a experiencia daqui, poder levar um pouco do que aprendi dentro de casa pro mundo a fora! 

E já participei também de muitos eventos de Rap, Rock, Hip Hop, e sempre adquirindo experiencia, pra colocar dentro dos eventos que organizo !

-COMO VOCÊ CONHECEU OS PRODUTORES DO UNIVERSO PARALELLO?

Mais ou menos em 1999 com o Juarez, e logo depois teve o universo paralelo de 2000, infelizmente não pude ir porque tinha um trabalho no Rio de Janeiro, mas fiquei arrasado por não conseguir ir. Ai depois em 2001 a gente se encontrou novamente, no tempo eu trabalhava muito de comissário, vendia ingresso, tinha minha equipe de comissário muito grande em Brasilia, e ofereci pra ele…. Não deu certo de inicio mas, eu fui la e mesmo assim botei muita gente pra comprar ingresso… Foram vários amigos, uma galera mesmo…  Depois eu botei uma loja de alimentação la dentro, e foi muito louco, fiquei uns dias la vivenciando a historia, foi ali que eu conheci, e assim que eu comecei a trabalhar com eles… Principalmente com o Juarez que é meu parceiro, já fizemos muitos eventos juntos, de la pra cá só melhora a relação de amizade e trabalho.

Somos um time, na verdade uma família… nossos filhos cresceram juntos, Acompanhamos o crescimento de cada um deles…E nós crescemos juntos também !!!                      

-COMO VOCÊ ENTROU PRA EQUIPE DE UM DOS MAIORES FESTIVAIS DE PSYTRANCE DO MUNDO?

Foi dessa forma, comecei vendendo os ingressos, administrava a equipe de comissários, eu era um bom comerciante….  Tinha essa facilidade de conhecer pessoas! 

-O QUE A UNIVERSO PARALELLO REPRESENTA PARA O BRASIL HOJE, NA SUA OPINIÃO?

É uma referencia né!? Mostra que existe e que ainda da pra fazer algumas coisas nas questões alternativas! Com essência… é um festival muito bem elaborado, estudado, muito bem cuidado, é muito orgânico a história, a própria organização dele, como ele acontece… Não é só vender ingressos, contratar alguns artistas… É muito alem de tudo isso !!

Acho que representa uma fonte de cultura onde o publico pode ter esse acesso num local paradisíaco como aquele…  É realmente a maior referencia do Brasil !

-COMO VOCÊ VE A CENA DE PSYTRANCE ATUALMENTE?

Um pouco confusa no momento sabe!? Mas se reencontrando…Novas ideias surgindo… Reeditando…Reunificando… e mantendo a originalidade, o conceito… Muita coisa mudou nesses últimos 10 anos ai né!? O trance mudou!! 

Mas tem mt espaço pra coisa nova que ainda vem por ae… Acho que falta uma pouco de empenho por parte de alguns produtores, acreditar na originalidade na identidade da historia como um todo… é isso !!!

-O QUE MAIS MUDOU NOS ÚLTIMOS ANOS?

Bem o publico sabe!? O publico ta repaginado total… nova galera, novo tudo !!!

-GOSTARIA DE DEIXAR UM RECADO PARA SEUS FÃS? 

Vou fazer um set especial na flip out, fazer algo bem especial em comemoração a esses 15 anos… Esperamos todo mundo lá !! 

Fica um abraço a todos, façam musicas, escutem muitas musicas e pesquisem bastante, que musica é infinita!!

E repito, musica boa, é musica boa !! E que a saga continue !!!

Vagalume Records no Sound

Chicodelico no Facebook

Você também pode gostar ...

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *