counter easy hit

Low Rezolution, Soulcast & Ancient Tribe – Sergio Bentran

sergio bentran low resolution
Qual foi seu primeiro contato com o Psytrance e o que achou do estilo musical?

Meu primeiro contato com o psytrance foi em 2000 no Eua onde residia na época, já acompanhava o trabalho do Euro Trance desde 1993 e confesso que adorava, como na época era difícil achar musicas, ate pela ausência da internet só tinha contato comprando cds. O psytrance é um tipo de musica “unique”, ou seja, só ele tem a textura e sensação totalmente diferenciada do que existia da época e dos dias atuais.

Qual foi o momento em que você decidiu se tornar um produtor de música psicodélica?

Eu sou musico desde menino e ensaiava instrumentos diferenciados ate me tornar um baterista, descobrir realmente o Psytrance em uma viajem a NY onde alguns amigos de um “Pub” em Newark em New Jersey me mostraram durante uma viajem a trabalho. Em 2006 estava de volta ao Brasil e a primeira coisa que senti nessa época foi que a cena de musica eletrônica psicodélica aqui no pais estava em alta. Dai já era um certo “nerd” de computador e só foi inspiração pra tudo começar, já que eu arriscava as produções antes de outros estilos no FL Studio 3. Poucos sabem mais minha iniciação na produção foi no Club pois a influencia da Dance Music no EUA era brutal.

Quais são suas influências e inspirações?

Diversas!!! Eu sou uma pessoa que escuto tudo que aparece na frente, mas basicamente hoje minhas influencias são Crystal Method, Junkie Xl, Chemical Brothers, Adam K, Nina Kraviz, Oliver Huntman, Tristam, Mad Tribe, Dj Zaghini, Alien Project, Derango, Burn in Noise, pppfff são tantas que ate me perco!

Quais seus Hobbies quando não está produzindo?

Mexo muito com edições de vídeo, criação de imagens, criações no Photoshop, After Effects, e claro não poderia deixar de passar o máximo com minha família que sempre vem em 1 lugar e os amigos mais íntimos.

Qual evento que mais marcou sua carreira de Artista?

Eu tive diversos momentos absurdos em palco, mas para minha carreira a Respect Pocket e Wave nature da qual eu e o Dj Zaghini estreamos nosso novo Live (Ancient Tribe) de Full On foi uma emoção muito forte tanto para mim como para ele. Inesquecível.

Como você vê a cena do Psytrance atualmente?

Tenho sentido uma vibração muito forte e positiva principalmente para esse ano de 2016, não posso me queixar muito em relação também aos outros anos, mas com certeza se vê que a cena esta crescendo com diversos eventos marcados para 2016. Sinto que gerou uma peneira também, quem se esforça e vem plantando coisas boas esta com certeza absoluta sentido os resultados, para mim esse ano de 2016 esta ótimo profissionalmente e torço que possa encontrar todos os meus parceiros e fãs nos eventos e juntos gerarmos uma vibração e egrégora potente para o crescimento na cena não só no âmbito comercial da coisa como também MUSICAL. Se a quantidade de Lives que estão ai lutando conseguir elevar o seu potencial, não demorará muito para o destaque ao Brasil no meio musical mundial.

Você tem outros projetos de música em paralelo, quais?

Com certeza! Eis alguns dos meus projetos que venho trabalhando:

  • – Electric CUBE – Club
  • – Zion Tribe Machines (Z.T.M) – Dub, Trap e Dubstep
  • – Mangrove – Suomi
  • – Spherical Blue Field – Ambient & New Age
  • – Broken Circuit – Rock Eletrônico
  • – Chica BOOM – Cumbia eletrônica (Unrelease)

Todo os projetos citados tem lançamentos de álbum no Beatport. Também não citei os meus projetos principais de Psytrance que são Ancient Tribe (Full On), Low Rezolution (Progressive Dark) e Soulcast (Progressive).

sergio low resolution psytrance

Dê onde você tira inspirações para criação das músicas?

Inspiração é algo que não se espera e sim se puxa, mas para mim uma boa tarde repleta de novas e boas musicas já me faz bastante efeito. Família, situações e eventos também fazem de mim um homem inspirado. Tudo depende do momento e fase da qual estou passando na vida. O importante é sempre perseverar e acredita que um dia algo maravilhoso e surpreendente irá transmitir através de sua arte.

Se pudesse escolher uma festa para tocar, qual seria?

Isso é uma pergunta que realmente eu não consigo achar uma resposta. Todas as festas tem algo especial e devo te confessar que já estou ultra mega satisfeito e hoje não anseio “a festa”, tive oportunidades absurdas em eventos ultra legais. Quem sabe a Respect 10 anos que já estou confirmado? Acho que essa eu queria tocar!

Gostaria de deixar um recado ou agradecimento para os seus fãs?

Logico!!! Sem meus fãs não existe minha musica, ou seja, sem vocês eu não existo. Muito obrigado sempre pelo prestigio e consideração sempre regado de muito carinho, amor e atenção por essas estradas e festas pelo pais. OBRIGADO!

Você também pode gostar ...

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *